quinta-feira, 26 de abril de 2012

A velha roupa suja do preconceito

Há mais ou menos uns 20 dias circulava pelas redes sociais uma imagem com uma mensagem pra lá de preconceituosa. Mas era daquelas de alguém que reproduzia a fala que ouviu falar. Bem coisa do preconceito que ganha pernas, mas sem cabeça, né mesmo. 
Bom, pois bem, eis aqui a imagem e as palavras: 



Se você quer que sua casa fique brilhando, tenha uma empregada PITTA, são perfeccionistas; se você quer alguém que cuide das crianças, faça bolo no fim do dia e fique contigo nos próximos 40 anos, tenha uma empregada KAPHA; agora se quer que seus objetos NUNCA sejam encontrados no mesmo lugar e sempre chegue atrasada, tenha uma empregada VATA...mas se tu for muito Pitta não terás empregada porque vai dizer que ninguém faz melhor que ti...



E daí, que se acha que são as religiões institucionalizadas, como os Catolicismos, os neopenteconstalismo e outras fundamentalistas as únicas a reforçar abitrariedades contra os direitos humanos e/ou promovendo e reforçando as diferenças de classe e divisão sexual do trabalho, além de preconceitos e racismos. 


CHOCK de MOSTRO quando o galerê adeptos aos misticismos, Nova era, Yoguis e usuários/terapeutas de terapias complementares como Ayurveda, medicina Tradicional Chinesa, etc saem por aí com discursos conservadores, preconceituosos, misóginos com um show de hipocrisia. Fazem isso quando usam por ex. as filosofias orientais de manutenção da saúde para reforçar seus velhos padrões de classe média. Tipo: 'sou super espiritualizada e respeito a natureza, mas não abro mão da 'minha empregada doméstica' e nem da babá.


E aí galerê do YOGA e do AYURVEDA que ficou divulgando essa imagem com 3 mulheres e empregadas domésticas e os bio-tipos (kapha, pita e vata) do Ayurveda. Se liga, só: isso se chama preconceito de classe. E no ayurveda significa que depois de lançados os dados vocês tem que voltar algumas casas para ter certeza se o que vocês aprenderam foi mesmo ayurveda. Porque meus carxs, país que tem tantas empregadas domésticas a ponto de classifica-las para escolherem a que melhor atende suas necessidades burguesas, é país em que a distribuição de renda é muito desigual. Sinto muito informar, mas se não rever seus conceitos, nem adianta que não vai iluminar.

Bom, daí que não adianta subverter o discurso se não o fizer ao pensamento. Sinto muito, mas me parece a velha roupa suja da hipocrisia.

Mas como acredito que as pessoas tendem mais a estar perto da humanidade, ai vai uma dica para rever os conceitos. 





E além disso recomendo o ótimo post da SrtaBia que é do ano passado, mas continua totalmente atual Dia Nacional das Trabalhadoras Domésticas e nele mostra que a realidade do trabalho doméstico no Brasil mesmo com os direitos possivelmente garantidos é fruto de um Brasil de herança colonial, portanto, essas trabalhadoras reforçam a cara da pobreza brasileira: mulher e negra. 





segunda-feira, 23 de abril de 2012

'O Progresso das Mulheres' no Brasil 2003-2010

Rompendo o jejum para compartilhar uma importante publicação tanto para ativistas como pesquisadores e pesquisadoras. 


A publicação 'O Progresso das Mulheres' no Brasil 2003-2010 reúne dados e análises sobre temas de impacto na vida das mulheres. Especialistas destacam as conquistas e desafios das políticas públicas de gênero e a ação dos movimentos sociais no país. Na área temática 'Saúde', a especialista Miriam Ventura destaca que saúde sexual e reprodutiva é um dos campos de maior tensão no que se refere aos direitos das mulheres, ainda que melhorias tenham se dado na consolidação dos avanços legislativos. Para saber mais, faça o download:


http://www.cepia.org.br/progresso.pdf



Ocorreu um erro neste gadget

Para me encontrar em outros canais

Follow me Fan page on Facebook Youtube Channel Ree feed MySpace

Receber atualizações deste site por por e-mail

 
© Copyright 2035 Sabrina Alves
Theme by Yusuf Fikri